Astrologia e Tarô  - Visconde de Mauá
 
Quirologia - Leitura das Mãos 
 
Segundo os povos da Antigüidade, as linhas não estão escritas nas mãos humanas sem razão; elas provêm de influências celestes e da própria individualidade do homem. Sua análise ajuda a pessoa a desenvolver o autoconhecimento a nível profundo, indicando suas forças e fraquezas e revelando importantes questões íntimas que precisam ser trabalhadas. A Quirologia oferece uma perspectiva objetiva e real sobre a vida, nos ajudando a estabelecer um contato mais profundo com nosso ser, confirmando nossos sentimentos mais íntimos e nossas percepções intuitivas básicas.
 Ciência e arte de interpretar a estrutura, a forma, a cor, as linhas e os demais detalhes das mãos para deduzir, entre outras coisas, o caráter, a personalidade, os talentos e as doenças do indivíduo. A Quirologia engloba o estudo e observação não só da linha e dos montes, mas dos dedos, das unhas, dos nós dos dedos, da cor e dos sinais da mão. Encantando por sua simplicidade e falta de aparato, pode ser praticada em qualquer lugar. É uma forma rápida e eficiente de acessar a personalidade de alguém, servindo como instrumento de orientação, autoconhecimento, e previsão das fases críticas da vida.
Segundo a tradição, essa ciência milenar iniciou-se na Índia com a Anga Vidya, uma arte divinatória recebida por Samudra, o deus do mar. A literatura védica apresenta vários ensinamentos sobre a quirologia, e faz citações sobre os sinais nas mãos e nos pés de Krishna, que indicavam sua grandeza espiritual. Da Índia ela foi para o Oriente Médio, onde encontrou muitos adeptos.
Praticada por hindus, chineses, egípcios, babilônios e caldeus desde 4.000 a.C., foram os gregos que introduziram a leitura de mãos no Ocidente, através de Alexandre Magno. Dizem que Aristóteles, o tutor de Alexandre, encontrou um antigo tratado de quirologia em árabe, traduziu-o e o presenteou ao discípulo.
Na Índia, a leitura de mãos sempre foi associada à Astrologia, mas somente os brâmanes ou sacerdotes a exerciam, orientando sobre os melhores momentos para todas as decisões importantes da vida: casamentos, negócios, guerras, viagens, etc. Até os dias de hoje, os indianos não fazem negócios sem consultar primeiro um quiromante de sua confiança.
A Quirologia começou a ser propagada, indo para o Ocidente e se misturando com conceitos de cada época e religião. No século quinze, a Europa foi invadida por ciganos, que dominavam o conhecimento da leitura de mãos, mas que passaram a ser perseguidos depois de trabalharem como espiões do imperador Sigismundo, do Império Romano Germânico. Sigismundo contratou os ciganos para o trabalho de espionagem, pois como quirólogos eles tinham acesso aos governantes e descobriam seus planos de guerra. Como essa ciência/arte estava estreitamente ligada aos ciganos, era natural que sofresse o mesmo desprestígio, e diversos países passaram leis tornando sua prática ilegal, enquanto que em outros se proibia qualquer pagamento pela leitura das mãos.
Vários astrólogos, entre eles Paracelso (1500), interessaram-se pela quirologia e o alemão Johann Harlieb publicou, no século quinze, o primeiro livro sobre o assunto no Ocidente.
A leitura de mãos sempre esteve muito ligada à Astrologia, fato comprovado pelos nomes de deuses romanos aos montes e dedos das mãos: Júpiter, Saturno, Apolo, Mercúrio e Vênus.

www.agbook.com.br
 
www.clubedeautores.com.br


 
 
 
Website Builder provided by  Vistaprint